Por Eliseu Antonio Gomes

"Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?" - Gênesis 3.1.

"E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações..." - Apocalipse 20.1.3 a.




Ao redor do mundo, existem quinze famílias de cobras identificadas, 456 gêneros diferentes e 2.900 espécies. Elas atacam e matam inoculando seu veneno ou por estrangulamento.

A secreção envenenadora é paralisante e ao mesmo tempo serve de lubrificante à ingestão da vítima, quase sempre engolida antes de estar morta. O líquido tóxico que as cobras injetam são capazes de matar a maior parte dos seres vivos do planeta, quando não matam causam sequelas como necrose, gangrena e amputamento de membros. Existem duas espécies venenos: uns paralisam músculos e outros paralisam os nervos. Algumas cobras possuem substâncias de ação rápida, e ingerem a caça no local em que a envenou; outras cobras possuem substância de efeito retardado, a vítima picada e foge, a corrida faz com que o veneno circule ainda mais rapidamente em sua corrente sanguínea, a cobra segue a presa usando seu olfato e a encontra totalmente indefesa, sem movimentos.

As cobras estranguladoras usam como armas letais seus dentes e músculos fortes. Mordem a presa na região das narinas para enfraquecê-la e sufocá-la, enquanto enrolam-se ao corpo da vítima e contrai músculos para quebrar seus ossos antes de comê-la inteira, sem partir seu corpo. Uma delas é a Anaconda, que em idade adulta chega a pesar até 140 quilos e é capaz de engolir 100 quilos de uma vez só, também conhecida como Sucurí, que vive na América do Sul. Outra cobra esmagadora e igualmente letal é a piton, que pode alcançar 12 metros de comprimento; contrai seus músculos para quebrar o esqueleto da presa e usa os dentes para arrastá-la inteira para dentro do estômago, é encontrada na Oceania, África e parte sudeste da Ásia.

A raiz do vocábulo “diabo” está no idioma grego e significa “enganador”. Ele é o único e autêntico inimigo do cristão (Efésios 6.12). Entre outras figuras que representam Satanás, a cobra é uma delas, por ser um animal sagaz e predador, que captura sua presa aplicando movimentos rápidos, depois de se aproximar silenciosamente da vítima. O Diabo age assim, aproxima-se sem que o alvo perceba o perigo de morte.

Temos dois relatos bíblicos do enganador tentando abrir e ocupar espaços na vida de quem têm comunhão com Deus. O Diabo se apresentou diante da esposa de Adão como uma serpente e diante de Jesus no deserto como se fosse o dono deste mundo (Gênesis 3.1-7; Lucas 4). Nos episódios das tentações de Eva e de Jesus, se apresentou como bem intencionado pregador da Palavra de Deus. Sua explanação foi tendenciosa, parcial, com objetivo de indução ao erro.

A aproximação do Diabo na vida de quem possui comunhão com Deus é revestida com falsa amizade, falsa humildade, falso moralismo. Ele profere mentira camuflada em interesse pela verdade dos fatos com a intenção de produzir dúvida, visa colocar irmãos contra irmãos e toda a raça humana contra o Criador (Provérbios 6.19; Zacarias 3.1-7; João 13.2; 1 João 3.8).

Cristo referiu ao Diabo como serpente e declarou que deu poder aos cristãos para vencê-lo (Lucas 10.19). "E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão" - Marcos 16.17-18.

Compete ao crente orar e vigiar. Orar e agir. A vigilância espiritual é a tomada de ação de acordo com os parâmetros da vontade do Senhor. Ser vigilante é prestar atenção ao que Deus diz e conhecer as Escrituras Sagradas para usá-la como contra argumentação às interpretações bíblicas distorcidas do enganador. O conhecimento das Escrituras Sagradas nos faz capazes de jamais ser vítima de enganos diabólicos, repreender o Diabo usando a autoridade que há nome de Jesus (João 14.14).

"Não dê lugar ao Diabo"; “sujeite-se a Deus, resista ao Diabo e ele fugirá de vocês”. As passagens bíblicas Efésios 4.27 e Tiago 4.7 são duas recomendações eficazes, são consistentes estratégias de vigilância espiritual, são dois estratagemas necessários na vida de quem possui comunhão com Deus. É importante orar e vigiar sempre, saber que os verbos vigiar e agir possuem significados iguais no mundo espiritual. É preciso orar e ao mesmo tempo entrar em ação para evitar que o inimigo ocupe espaço em nossas vidas, se aproprie de lugares que não lhe pertence, faça com que as intenções dele tomem lugar em sua mente como se fossem ideias e planos seus.