AS ÁGUAS CRISTALINAS DA PALAVRA DE DEUS E O VENENO TEOLÓGICO DOS FARISEUS MODERNOS

by - março 04, 2019


Por Marco Elias


Algumas denominações evangélicas brasileiras (não são poucas) abominam a teologia. Chegam a elencá-la na lista dos grandes equívocos da igreja cristã moderna, como sendo ela o “pecadão” que fez o evangelicalismo errar o alvo.

Sabemos que existem TEOLOGIAS VENENOSAS capazes de desgraçar a vida cristã de uma igreja, e de suas famílias, como também existem TEOLOGIAS SAUDÁVEIS capazes de curar certas feridas ocasionadas pelos equívocos dos dirigentes religiosos do evangelicalismo do nosso tempo. Para se preparar o antídoto perfeito é preciso estudar o veneno. Na atualidade os venenos teológicos são colocados na mesma prateleira dos bons alimentos que trazem crescimento e saúde ao rebanho, como resultado da falta de discernimento desta “era de Laodicéia”. Os escritores que produzem material saudável ao cristianismo estão lado a lado com os maiores hereges que a história cristã já viu.

Surge a pergunta: Como não confundir o antídoto com o veneno e como não se contaminar? Muito simples, fazendo da Bíblia sagrada a sua ÚNICA REGRA DE FÉ E PRÁTICA. A Bíblia Sagrada é o único e mais eficaz antídoto contra todo tipo de heresia ou veneno matador de ovelhas.

O grande equívoco das lideranças eclesiásticas é esconder a Bíblia Sagrada do cristão que deseja ser fiel a Deus, não do jeito que a igreja católica a escondia na idade média. Hoje existem outros artifícios para se esconder o livro sagrado. Em alguns púlpitos não se pode pregar o evangelho genuíno, pois, as ovelhas estão acostumadas com ração artificial, nunca conheceram os pastos verdejantes. O culto foi substituído por shows onde se canta a glória dos homens e a redução de Deus a um empregado ou mordomo de complexo religioso que faz a vontade dos fiéis. Em outros lugares os ministros negam a real importância do sentido original e literal do texto sagrado. Alguns o fazem dizendo que a letra mata (desviando o texto do seu contexto original). É inegável que o texto bíblico contém alegorismos, enigmas e aplicações proféticas para a igreja que é o corpo de Cristo. Estes segredos são facilmente encontradas pelos servos de Deus quando guiados pelo seu Espírito Santo. O vento assopra onde quer... Não há nada que reparar na revelação dada pelo Espírito Santo. Ela mantém a igreja viva!

Agora que entendemos que a revelação é útil, maravilhosa e edificante, voltaremos ao problema da negação do texto bíblico inspirado: o equívoco supracitado amplia o índice de analfabetismo bíblico dentro das denominações evangélicas. Este problema seria resolvido se a mente dos religiosos do nosso tempo compreendesse que a revelação não anula a letra inspirada e que os servos de Deus estão obrigados a cumprir e a defender aquilo que o texto sagrado manda fazer, exceto aquilo que Cristo aboliu. Enquanto isto não for entendido e praticado, cumpre-se o que Paulo disse: 

Em II Coríntios 2:17 Paulo fala dos fraudadores da Palavra de Deus. Ele utiliza um termo grego que ocorre uma única vez em todo o Novo Testamento: kapêleuontes. A palavra se aplica aos comerciantes de vinho que, para aumentar o lucro, adulteravam o produto, completando suas garrafas com água. Do mesmo modo muitos pregadores diluem as águas cristalinas da palavra de Deus com seus conceitos e preconceitos religiosos.

Nunca foi e nunca será pecado alcançar revelações gloriosas do Espírito Santo na palavra inspirada ou por meio dos dons espirituais, mas nunca anule o sentido original do texto bíblico, para que não tenhas que prestar contas ao seu autor que disse que nem um til se omitirá. Deixe a fonte de águas vivas da palavra de Deus intacta, ao seu modo original para que Deus dessedente os outros que virão beber mais tarde. Jamais negocie os valores do cristianismo bíblico!

Glória ao Pai, Glória ao Filho e Glória ao Espírito Santo!



Observação Importante: O texto acima não faz referência e não tece preconceitos contra cristãos “indoutos” ou sem o domínio completo da leitura e da escrita, mas sim aponta o equívoco de pessoas que não obedecem ao texto sagrado por não atribuir valor algum a ele. Ao longo da caminhada cristã conhecemos pessoas semianalfabetas com fidelidade insuperável nas escrituras, mas também conhecemos pessoas intelectuais com vasto capital cultural e desprezo total ao texto inspirado.  Isto é vergonhoso e destoa daquilo que Cristo ensinou!

POSTS RELACIONADOS